Entenda as graves consequências da dependência de cocaína e como tratar

4 minutos para ler

Embora exista uma série de políticas governamentais e estratégias humanitárias de combate às drogas ilícitas, infelizmente, ainda há muitas pessoas fazendo uso abusivo e compulsivo dessas substâncias Uma das  drogas  que desperta grande preocupação frente às autoridades e familiares de dependentes é a cocaína.

A boa notícia é que tratamentos podem ajudar pessoas a superarem a dependência e voltarem a viver de modo saudável e normal. Conheça-os neste post!

O que é a cocaína 

A cocaína é um estimulante com alto poder viciante e que age diretamente sob o sistema nervoso central. Em diferentes Países ela está no topo da lista de consumos de substâncias ilícitas.

Embora seja relativamente antiga, a droga ganhou fama nas décadas de 80 e 90, quando passou a ser amplamente utilizada e difundida entre os usuários.

Comercializada sob a forma de pó, ela pode ser inalada (aspirada) pelo nariz, ou então, dissolvida em água e ser injetada diretamente na veia. Ela também pode ser fumada sob a forma de pedra (crack).

Principais efeitos do uso da droga

Os principais efeitos da cocaína surgem de modo quase imediato após sua utilização e tendem a desaparecer dentro de 10 a 15 minutos, podendo no máximo atingir uma hora de duração.

Quando utilizada em pequenas doses, a substância faz com que o usuário se sinta energético, eufórico e mentalmente alerto. Sensações de tato, visão e audição se tornam potencializadas, ao mesmo tempo que as sensações de fome e sono diminuem.

Alguns usuários acreditam que a droga auxilia na realização de tarefas que demandam empenhos intelectuais simplórios, tais como dirigir, dançar ou cantar.

Os efeitos do uso de cocaína incluem:

  • aumento de frequência cardíaca e temperatura corporal;
  • aumento da pressão arterial;
  • dilatação das pupilas;
  • agitação e euforia;
  • ataques de pânico seguidos de euforia;
  • irritabilidade;
  • ansiedade;
  • tremores;
  • vertigem;
  • dores de cabeça;
  • espasmos musculares incontroláveis.

É importante reiterar que os efeitos se tornam piores ao longo do tempo, podendo levar o usuário a desenvolver graves problemas de saúde, sequelas e até mesmo ir à óbito. Por isso, encorajar o tratamento é tão importante.

Como é o tratamento

O tratamento da dependência dessa droga em questão é dividido em diferentes partes, que mostraremos de modo resumido a seguir.

Parte 1. Desintoxicação

Nessa etapa o dependente deve ficar sem o uso da cocaína e de outros tipos de substâncias ilícitas, além do álcool e do cigarro. O contatos com traficantes devem ser evitados, assim como deve ocorrer a eliminação de objetos relacionados ao uso da droga, cachimbos, espelhos e etc.

Montar uma rotina de atividades mentais, como por exemplo escrever em um diário e prestar trabalhos sociais são importantes, pois mantém a pessoa ocupada.

Nos casos mais graves e de difícil manejo muitas vezes é necessário internar o dependente em um local especializado para que essa desintoxicação seja realizada com sucesso.

Parte 2. Tratamento de complicações

Essa etapa, de maneira geral, ocorre ao mesmo tempo que a primeira. É comum que o dependente apresente sinais de abstinência nesse momento. Convulsões, insônia, agressividade, irritabilidade são sintomas clássicos nessa etapa, medicamentos específicos podem (e devem) ser utilizados.

Parte 3. Prevenção de recaídas

Nessa fase, com a ajuda de profissionais e medicamentos, o indivíduo deve ser incentivado a retomar suas atividades prazerosas, mas sem o consumo  da cocaína. Várias estratégias mentais e comportamentais devem ser elaboradas para que o dependente não recaia no consumo da substância.

Parte 4. Recuperação avançada

Essa parte se fará presente por toda a vida do paciente e é basicamente semelhante à parte 3. Mudanças de hábitos, pensamentos e atitudes são necessárias para  evitar uma futura reaproximação com a cocaína.

Embora pareça algo difícil, é totalmente possível superar a dependência em cocaína. A ajuda de amigos e familiares é muito importante para todo esse processo, além dos profissionais especializados.

Auxílio profissional é importante

A cocaína age diretamente no sistema nervoso central, por isso, contar com a ajuda de um psiquiatra é uma ótima forma de otimizar o tratamento, aumentando ainda mais as chances de superar o uso da droga.

Muitos possuem dúvidas na hora de escolher um psiquiatra, por isso é muito importante que se saiba quais critérios adotar para buscar um profissional desse ramo. Confira!

 

Dra Karine Cunha

Sobre

O blog Dra Karine Cunha oferece os melhores conteúdos dedicados à saúde mental.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Share This