Quais os sintomas da ciclotimia? Entenda

4 minutos para ler

Mudanças de humor são comuns em nossa rotina, afinal, com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, é difícil não ficar irritado ou desanimado de vez em quando. Agora, imagine uma pessoa que durante algum tempo está animada, cheia de planos e, do nada, se sente incapaz e triste. É mais ou menos assim o comportamento de um ciclotímico.

Quer entender mais sobre a ciclotimia e os seus sintomas? Continue a leitura e descubra!

O que é ciclotimia?

A ciclotimia, também chamada de distúrbio ciclotímico, é uma condição de longo prazo em que o estado de espírito oscila entre a hipomania e a depressão. É um distúrbio de humor raro e apresenta características semelhantes ao transtorno bipolar.

Quem tem ciclotimia experimenta altos e baixos cíclicos, persistentes por pelo menos 2 anos. Durante a hipomania, o humor melhora por um tempo, enquanto nos períodos de depressão, o indivíduo fica desmotivado.

Como na maioria dos distúrbios mentais, a causa exata da ciclotimia é desconhecida. No entanto, o componente genético é forte. Na ciclotimia, depressão maior e transtorno bipolar, um histórico familiar indica um risco maior de desenvolvimento.

Fatores ambientais também são um provável contribuinte para o surgimento ou agravamento do problema, e certos eventos na vida podem aumentar as chances de desenvolver ciclotimia. Isso inclui abuso físico ou sexual, outras experiências traumáticas e períodos prolongados de estresse.

Como diferenciar transtorno bipolar e ciclotimia?

A principal diferença entre os dois distúrbios é a intensidade. As oscilações de humor associadas à ciclotimia não são tão extremas quanto aquelas que acompanham o transtorno bipolar.

Quem sofre com transtorno bipolar experimenta comportamentos intensos que satisfazem critérios clínicos para o diagnóstico de mania e depressão maior. Por outro lado, aqueles com ciclotimia experimentam altos e baixos mais leves, descritos como hipomania e depressão leve.

A ciclotimia geralmente se desenvolve na adolescência ou no início da vida adulta e afeta igualmente homens e mulheres. Muita gente com a doença parece funcionar normalmente, embora possam parecer “mal-humoradas” ou “difíceis de conviver”.

Algumas pessoas não procuram tratamento porque os sinais não parecem muito graves. Além disso, podem, por vezes, ser erroneamente diagnosticadas com outras condições de saúde mental. Se não for tratada, a ciclotimia pode aumentar o risco de desenvolver transtorno bipolar.

Quais os sintomas?

Como explicado, a ciclotimia tem sintomas semelhantes aos outros problemas, mas não tão extremos. É caracterizada por altos e baixos emocionais que podem ser prejudiciais para o funcionamento diário. Essas oscilações emocionais são chamadas de episódios hipomaníacos e depressivos.

Sintomas hipomaníacos

  • sentimento exagerado de felicidade ou bem-estar (euforia);

  • otimismo extremo;

  • autoestima elevada;

  • maior impulso para realizar ou atingir metas (sexuais, relacionadas ao trabalho ou sociais);

  • falar mais do que o normal;

  • mau julgamento que pode resultar em comportamento de risco ou escolhas imprudentes;

  • comportamento irritado ou agitado;

  • excesso de atividades físicas;

  • diminuição da necessidade de sono;

  • tendência para ser facilmente distraído;

  • dificuldade de concentração.

Sintomas depressivos

  • choro;

  • sentimento de tristeza, falta de esperança ou vazio;

  • irritabilidade;

  • perda de interesse por atividades antes consideradas agradáveis;

  • alterações no peso;

  • sentimento de inutilidade ou culpa;

  • problemas no sono;

  • fadiga ou sensação de lentidão;

  • inquietação;

  • pensamentos suicidas;

  • dificuldade de concentração.

Como deve ser o tratamento?

O tratamento costuma incluir medicamentos e psicoterapia para ajudar a evitar que os sintomas interfiram na rotina. Não existem drogas específicas para a ciclotimia, mas o médico psiquiatra pode usar medicamentos aprovados para o transtorno bipolar, como estabilizadores do humor, para ajudar a controlar seus efeitos.

Agora que você conhece a ciclotimia e os seus sintomas, fique atento: embora os altos e baixos do quadro sejam menos extremos do que os do transtorno bipolar, é essencial procurar ajuda. Isso porque eles podem afetar sua rotina e aumentar o risco de outros problemas.

Você sofre ou conhece alguém com sinais de ciclotimia? Deixe seu comentário e conte sua experiência.

Dra Karine Cunha

Sobre

O blog Dra Karine Cunha oferece os melhores conteúdos dedicados à saúde mental.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Share This