Saiba quais são os sintomas do Autismo e como identificá-los

4 minutos para ler

Muito se fala sobre Autismo, tanto dentro da internet quanto fora dela. Porém, nem sempre as discussões são baseadas em fatos verídicos. Entender o que é o Autismo, suas características e como ele se desenvolve é algo fundamental para saber lidar com uma pessoa portadora dessa doença.

O Autismo é um transtorno do desenvolvimento psicológico que tem como principais características a dificuldade com interações sociais e com a comunicação, além de um comportamento fundamentado em repetições.

Geralmente, é possível perceber sinais de Autismo nos três primeiros anos de vida da criança. Com o tempo, esses sintomas se desenvolvem em ritmos que variam de pessoa para pessoa.

A seguir, você entenderá mais detalhes a respeito dos sintomas dessa doença e como costuma ser o tratamento. Confira!

Quais são as causas do Autismo?

O Autismo ainda tem causas desconhecidas, apesar de cada vez mais pesquisas serem realizadas a respeito desse transtorno. O que se sabe é que há uma combinação de fatores que contribuem para o aumento nas chances do desenvolvimento da doença.

Entre esses fatores está a herança genética. Aliás, diversos genes têm influência nas chances de desenvolvimento de Autismo, tornando certas pessoas mais propensas do que outras.

Também existem fatores externos que aumentam a probabilidade de desenvolvimento de Autismo, como a poluição do ar, infecções virais, complicações durante a gravidez da mãe, contaminação por mercúrio, entre outros.

Quais são os sintomas do Autismo?

Esse transtorno  tem sinais baseados em três pilares fundamentais: a comunicação prejudicada, o comportamento repetitivo e o desenvolvimento social comprometido.

No aspecto da comunicação, o Autista tem dificuldade para desenvolver naturalmente as suas habilidades para se expressar. Um dos primeiros sinais é a demora no aprendizado da fala da criança. Com o passar dos anos, as dificuldades permanecem ao tentar formar palavras e frases.

Outro aspecto dos sintomas do Autismo se refere ao comportamento repetitivo. Ele pode variar em intensidade, indo desde movimentos como bater as mãos e balançar o corpo até casos de automutilação.

Quanto ao comprometimento do desenvolvimento social, isso se refere, principalmente, à falta de intuição a respeito das percepções dos outros.

Vale ressaltar que outros sintomas também costumam ocorrer em quem sofre de Autismo:

  • ansiedade;
  • agressividade;
  • pouca vontade de falar;
  • apatia;
  • sentidos altamente aguçados;
  • fixação por certos assuntos ou atividades.

Como é o tratamento do Autismo?

Não há cura conhecida para o Autismo, então, o tratamento se concentra em oferecer todo o suporte possível ao autista para que supere as limitações impostas pelo problema e possa viver uma vida normal.

Um exemplo disso é, ao detectar os primeiros sinais de autismo, direcionar as crianças para um tratamento em fonoaudiologia e terapias voltadas para o desenvolvimento do comportamento, como a ABA (Applied Behavior Analysis, ou Análise do Comportamento Aplicada).

O papel da família é fundamental no desenvolvimento do autista. É essencial que ele conte com o apoio das pessoas ao seu redor para realizar as atividades do dia a dia e, tão importante quanto, se sinta acolhido e amado por todos.

O apoio profissional também é fundamental para que o autista desenvolva suas habilidades e consiga viver com normalidade. É o caso de um acompanhamento psicológico e educacional.

Quem sofre de Autismo não está incapacitado de viver a vida, trabalhar e se relacionar com as outras pessoas. Ao entender os sintomas do Autismo, além de suas características e tratamento, torna-se mais fácil se livrar de concepções erradas a respeito desse problema e contribuir para uma sociedade melhor preparada para acolhê-los.

Fique por dentro de mais informações relevantes sobre saúde mental. Basta seguir os nossos perfis nas redes sociais: estamos no Facebook e no Instagram!

Dra Karine Cunha

Sobre

O blog Dra Karine Cunha oferece os melhores conteúdos dedicados à saúde mental.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Share This