Surto psicótico: o que é e como lidar com ele?

4 minutos para ler

Você já viu alguém ter (ou já teve) uma alteração repentina de comportamento, com delírios, alucinações e reações desproporcionais? Tratam-se de surtos psicóticos — um episódio de dissociação psíquica em que a pessoa perde a noção da realidade e pode se tornar agressiva, agitada e, até mesmo, com comportamentos que podem colocar a vida dela e a dos outros em risco.

Um assunto sério e que merece a sua atenção neste texto. Confira!

Quais são as principais características dos surtos psicóticos?

Cientificamente falando, durante um surto como esse, a área do cérebro responsável pelas emoções e pelo prazer (o sistema límbico) tem um aumento de suas atividades, fazendo com que os pensamentos se desorganizem e as percepções se alterem.

Para quem está presenciando, o que se percebe é uma pessoa que vê a sua realidade alterada e não consegue “funcionar” da melhor forma. Mas engana-se quem pensa que o indivíduo tem uma “crise nervosa” e logo volta ao seu estado normal: os surtos psicóticos podem durar dias ou semanas, e precisam de hospitalização.

Alguns sinais são:

  • delírios, distorções da realidade, alucinações;

  • pensamento e/ou comportamento desordenado;

  • isolamento social;

  • aparência física descuidada.

O que fazer se você presenciar um surto psicótico?

Em primeiro lugar, praticar a compaixão e a empatia, deixando a estigmatização de lado. As pessoas que sofrem surtos psicóticos precisam ser respeitadas e merecem tratamento adequado. Se você é um parente próximo, faça contato com um profissional psiquiatra de sua confiança e ele lhe indicará o melhor caminho. Vale lembrar que, quando o indivíduo já está em tratamento, o carinho, o apoio e o respeito também são essenciais — e ajudam mais do que você pode imaginar.

Agora, se você está diante de um surto psicótico, vendo a pessoa sofrer com delírios e alucinações, algumas atitudes podem ajudar:

  • se ela já estiver em tratamento, cheque se os medicamentos foram tomados corretamente; se não foram, tente administrá-los imediatamente;

  • vigie a pessoa para que ela não se machuque ou machuque outros indivíduos;

  • retire-a de locais barulhentos, muito cheios ou conturbados;

  • não a confronte;

  • entre em contato com o médico psiquiatra.

Quais são os tratamentos mais comuns e as formas de controlar um surto psicótico?

Os tratamentos farmacológicos mais comuns para o controle dos episódios de surtos psicóticos incluem os antipsicóticos — e devem ser utilizados apenas com orientação e acompanhamento médico. Além disso, a psicoterapia também é indicada.

As intervenções familiares também são muito importantes para essas pessoas e atuam como ferramentas de apoio valiosas.

Além disso, um indivíduo que já apresentou um episódio de surto pode buscar orientação sobre cuidados contínuos e um acompanhamento ativo da sua evolução. Um profissional pode ajudar nesse sentido, mas existem tratamentos comunitários em várias localidades destinados a esse fim. Vale a pena procurar por esse tipo de apoio perto de você!

As pessoas que sofrem com surtos psicóticos precisam de acompanhamento médico para manterem a sua saúde mental e física íntegras. Se você conhece alguém (ou você mesmo) que tem apresentado esses episódios com esses sintomas, não hesite em buscar ajuda médica.

Entre em contato com a Dra. Karine Cunha, médica psiquiatra, e aumente a sua qualidade de vida (ou de quem você ama) a partir de agora!

Dra Karine Cunha

Sobre

O blog Dra Karine Cunha oferece os melhores conteúdos dedicados à saúde mental.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Share This