Transtorno de aprendizagem: quais os tipos e como tratar?

4 minutos para ler

Um transtorno de aprendizagem traz várias dificuldades para a escolarização da criança e para o desenvolvimento de habilidades muito exigidas na vida, como a fala, a leitura, a escrita e o cálculo. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado podem proporcionar condições para que a criança desenvolva estratégias para contornar o problema e criar alternativas viáveis.

Conhecer os transtornos de aprendizagem é muito importante para saber identificar os sinais e procurar ajuda caso necessário. Continue acompanhando e entenda mais sobre o assunto!

O que é transtorno de aprendizagem e por que é importante compreender o tema?

Os transtornos de aprendizagem são dificuldades em habilidades acadêmicas básicas (como a matemática, a escrita e a leitura), que se manifestam de forma persistente e que, em geral, têm início durante os anos de escolarização. É importante lembrar que esses acometimentos não podem ser explicados por deficiências intelectuais ou sensoriais.

O processo educacional é multifatorial, envolvendo variáveis psicológicas, sociais, culturais e ambientais. Os transtornos de aprendizagem não apresentam uma causa definida. Eles podem envolver fatores neurobiológicos, nível de estimulação e até questões psicológicas e de contexto cultural. 

Assim, na identificação de sinais de que há elementos na aprendizagem que não vão bem, é fundamental procurar apoio de profissionais habilitados, como psiquiatras e psicólogos. Compreender essa temática é essencial para apoiar a criança e fornecer a ela o amparo necessário para o enfrentamento das dificuldades encontradas.

É fundamental não culpabilizar seu filho ou a família. O importante é desenvolver estratégias junto aos especialistas para o enfrentamento do problema.

Quais são os principais transtornos de aprendizagem?

Há vários tipos de transtorno de aprendizagem. Veja quais são os principais!

Dislalia

A dislalia é um transtorno que se manifesta na fala. A principal característica é a dificuldade em articular as palavras de forma correta. A criança pode omitir letras, trocar palavras por outras parecidas, distorcer sons e falar de maneira errada. 

É importante lembrar que, quando estão aprendendo a falar, as crianças podem ter dificuldades com sons e ter algumas pronúncias incorretas. A dislalia ocorre em casos em que o quadro é persistente e prejudicial ao desenvolvimento.

Dislexia

A dislexia é um transtorno que se caracteriza pela dificuldade de ler e escrever, que também pode dificultar o desenvolvimento da habilidade de soletrar e de decodificar. Alguns dos sinais da doença são dificuldades no desenvolvimento da fala, ou manifestação tardia dessa habilidade, problemas com memorização de palavras e regras ortográficas, atraso na capacidade de leitura, falta de atenção e dispersão.

Discalculia

Discalculia é o comprometimento na habilidade de lidar com operações aritméticas e matemáticas. A compreensão e o manejo de números ficam prejudicados, havendo dificuldade de classificar, organizar e operacionalizar esses fatores.

Disgrafia

As pessoas com disgrafia têm questões com a escrita, apresentando dificuldade na formação de palavras e erros de ortografia. Pode estar associada a problemas da psicomotricidade. A criança pode ter comprometimentos para formar palavras, grafar letras largas, pequenas ou de tamanho variável, sobrepor letras, fazer um espaçamento inconsistente e ter complicações para a fluência da escrita.

Como os transtornos de aprendizagem podem ser tratados?

Para tratar os transtornos de aprendizagem, é fundamental procurar apoio de profissionais especializados. Psicólogos, psicopedagogos, neuropsicólogos e psiquiatras podem contribuir para a realização de um diagnóstico adequado e para o desenvolvimento de medidas necessárias para que a criança tenha mais qualidade de vida e possa desenvolver estratégias para o aprendizado.

Transtornos de aprendizagem são crônicos, mas é possível criar alternativas para desenvolver habilidades para o estudo. Outra questão importante é o apoio da família no enfrentamento das inseguranças e desafios que um transtorno traz para a vida. Com um trabalho multiprofissional e o amparo familiar, a criança tem melhores condições para aprender.

Como vimos, os transtornos de aprendizagem podem trazer muitas consequências para a criança, dificultando a vida escolar e comprometendo a aquisição de habilidades. Eles podem se manifestar nos níveis da escrita, da fala, da leitura e do cálculo. Para tratar um transtorno de aprendizagem, é fundamental buscar o apoio de profissionais especializados.

Gostou de aprender sobre transtorno de aprendizagem? Confira também o nosso post sobre como funciona o tratamento para a síndrome do pânico!

Dra Karine Cunha

Sobre

O blog Dra Karine Cunha oferece os melhores conteúdos dedicados à saúde mental.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Share This