Transtornos alimentares: 3 sinais de que você precisa de tratamento

4 minutos para ler

Todos os dias, estamos cercados por diferentes mensagens que impactam a maneira como nos sentimos em relação à nossa aparência. Entretanto, para alguns, a má imagem corporal pode ser sinal de um problema: distúrbio alimentar. Transtornos alimentares são condições graves relacionadas a comportamentos alimentares persistentes. Afetam negativamente a saúde, a rotina, as emoções, os relacionamentos e a autoestima.

Os distúrbios mais comuns são anorexia nervosa, bulimia nervosa e transtorno da compulsão alimentar compulsivo. Geralmente se desenvolvem na adolescência e na juventude, porém podem surgir em qualquer idade.

A maioria dos transtornos alimentares envolve muito foco no peso, na forma corporal e nos alimentos, levando a comportamentos alimentares perigosos. Esses comportamentos podem afetar significativamente a nutrição adequada do organismo, prejudicar o coração, o sistema digestivo, os ossos, os dentes, a boca, entre outros, e ainda causar outras doenças.

Continue a leitura e conheça os principais sinais a fim de reconhecer os problemas mais frequentes!

1. Sinais de anorexia nervosa

Quem sofre de anorexia nervosa normalmente tem um medo obsessivo de ganhar peso, recusa-se a manter um peso corporal saudável e apresenta uma percepção irreal da imagem corporal. Muitas pessoas com esse problema limitam a quantidade de comida que consomem e se consideram acima do peso mesmo quando estão claramente magras.

Os sintomas e comportamentos comuns em pessoas com anorexia são:

  • perda de peso dramática;

  • vestir roupas soltas e volumosas para esconder a perda de peso;

  • preocupação constante com comida, dieta e contagem de calorias;

  • recusa para comer certos alimentos, como carboidratos ou gorduras;

  • evitar fazer refeições na frente dos outros;

  • praticar exercícios físicos intensamente;

  • parar de menstruar;

  • queixar-se de dor no estômago ou de intestino preso;

  • negar que a magreza extrema seja um problema.

2. Sinais de bulimia

Esse transtorno alimentar é caracterizado por compulsão alimentar repetida, seguida por comportamentos que compensem os excessos, como vômitos forçados, exercícios excessivos e uso abusivo de laxantes ou diuréticos.

Homens e mulheres que sofrem com bulimia podem temer o ganho de peso e se sentir infelizes com o tamanho e a forma do corpo. O ciclo de compulsão alimentar e compensação é normalmente feito em segredo, criando sentimentos de vergonha, culpa e falta de controle.

Os seguintes sinais são comuns em quem sofre de bulimia:

  • evidência de compulsão alimentar, incluindo o desaparecimento de grandes quantidades de comida em um curto espaço de tempo ou encontrar muitas embalagens vazias de alimentos;

  • práticas compensatórias, incluindo idas ao banheiro logo após as refeições e sons ou cheiro de vômito;

  • uso de laxantes ou diuréticos;

  • pular refeições ou evitar comer na frente de outras pessoas;

  • excesso de atividades físicas;

  • reclamar que é “gordo”;

  • mastigar muita goma de mascar ou usar frequentemente enxaguantes bucais;

  • fazer dieta constantemente.

3. Sinais de transtorno alimentar compulsivo

Indivíduos que sofrem de transtorno alimentar compulsivo frequentemente perdem o controle sobre sua alimentação. Porém, diferentemente da bulimia nervosa, os episódios de compulsão alimentar não são seguidos por comportamentos compensatórios, por exemplo, vômitos, jejum ou exercícios excessivos. Por causa disso, muitas pessoas que sofrem com esse mal podem ser obesas e com maior risco de desenvolver outras condições, como doença cardiovascular.

Os que lutam contra esse distúrbio também podem experimentar sentimentos intensos de culpa, angústia e constrangimento relacionados à compulsão alimentar, o que pode influenciar a progressão do distúrbio alimentar.

Quem sofre com compulsão alimentar costuma:

  • armazenar comida ou esconder grandes quantidades de alimentos em lugares estranhos;

  • demonstrar episódios de compulsão alimentar, incluindo o desaparecimento de grandes quantidades de alimentos em um curto espaço de tempo;

  • usar roupas folgadas para esconder o corpo;

  • isolar-se socialmente.

Aos surgirem alguns desses sintomas, é importante procurar ajuda. Caso haja um diagnóstico de distúrbio alimentar, é fundamental iniciar o tratamento imediatamente, uma vez que pessoas com tais sintomas sofrem maior risco de suicídio e de complicações médicas. Também podem ter outros transtornos, como depressão e ansiedade ou abuso de certas substâncias.

Os planos de tratamento para os transtornos alimentares são adaptados às necessidades individuais e costumam incluir psicoterapia, acompanhamento psiquiátrico e nutricional, cuidados médicos e uso de medicamentos.

Viu só como os distúrbios alimentares podem impactar nossas vidas? Caso reconheça sintomas em você ou alguém próximo, entre em contato conosco! Estamos prontos para atendê-lo!

Dra Karine Cunha

Sobre

O blog Dra Karine Cunha oferece os melhores conteúdos dedicados à saúde mental.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Share This